Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

17 de dez de 2009

Sonho Em Ondas

Chamo o sono evocando o mar.
e durmo num azul de placidez...
Em seu imaginário marulhar,
que embala o dormir em liquidez.

Eu amanheço ainda submergida
no delírio; o travesseiro ao lado
são ondas; seguem fluindo vida.
Na íris o sonho já quase acabado.

Nessas vagas, desperto atontada.
O pulsar do oceano sigo ouvindo.
Memória viva de mãos molhadas.
A praia continua aí me sorrindo.

Nos pés: tramas de areia rendada,
espuma desse prazeroso devaneio,
qual lençol suave; pele acetinada.
O frenesi vai em ondas, como veio...

Rosemarie Schossig Torres

13 de dez de 2009

O PRINCÍPIO DO TEU OLHAR

A linguagem do nosso amor
Foi o princípio do teu olhar
Essência da mais bela flor
No jardim , eu sei que vou te amar.

Eu serei tua Camélia
Você é minha luz , meu Girassol
Minha pele na tua fragrância
Numa manhã de lindo sol.

Te amo em transparência de tela
Na cor e semente da minha vida
Ateaste uma chama em aquarela.

No meu corpo , teu perfume íntimo
Tatuando na pele esse amor
Arde o néctar da união em flor.


Ana Maria Marques
PALAVRA

Vi uma semente
morrendo

Vi uma manhã
em sol
brilhando

Vi uma dor
debatendo

Vi uma lua
se recolhendo

Vi e senti
Uma palavra

No peito
inquietante

Sem querer no papel
nascendo.


Ana Maria Marques

8 de dez de 2009

NORMAL




Normal , eu ?
Me pego insana
todos os dias.

No palco da minha vida
sou coadjuvante
represento
personagens diversos...

Saio do esconderijo
Ensaio o texto
Risco o contexto

Dou um chute no antigo
armário
Deixo voar meus reles
sentimentos.

Não quero ser normal
o normal
é pura rotina
é apático
é viver em silêncio.

Quero um jeito anormal
de viver
Quero escrever poesias
Derrubando minhas paredes
Uma mesa , alguns papéis
Uma lua , brilhando pela manhã
na fresta da minha janela .


Ana Maria Marques

SOU UM MAR SEM NAVEGADOR


Em música das ondas do mar
Escuto uma melodia radiante
Imagino você chegar
Com seu corpo aconchegante.

Descobri que a poesia , descreve
Não abre mão da minha dor
Sou um mar sem navegador
Criando personagens , ela me prescreve.

Enfeito-me com um colar
de pérolas e conchas
Quero na praia te amar.

Nosso amor é um azul cristal
é antes de tudo , um porto seguro
Sem âncora , maralto sem igual.


Ana Maria Marques

1 de dez de 2009

A Mística das Idéias


Volutas no ar, soberbas espirais,
chegam idéias em aéreo caminho,
sopradas pela musa, com carinho.
Versos voláteis vindo pelos vitrais.

Vem pairando, em vôos desiguais,
Às vezes rápido, ora devagarzinho,
poemas vozeiam ou são quietinhos,
brotam vindos de diferentes canais.

Sempre são bem-vindas inspirações,
que trato com uma veneração lírica.
Mística além de mim, das amplidões.

Palavras que ultrapassam a empírica.
Procedimento sem lógica explicação.
Talvez criação de minha alma onírica.

Rosemarie Schossig Torres
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...