Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

10 de mar de 2011

A FORÇA DA FRAGILIDADE - Fase inicial - 1ª Rodada

A FORÇA DA FRAGILIDADE

Não quero  falar de flores
De quantas jornadas atravessei
Quero só falar de admiração
Pelas noites que em tantos olhos debrucei

Quero só  lembrar do  sorriso atrevido
Do tom cansado e dom desinibido
Que transformou o mundo
Sem armas e sem canhões
Só quero me lembrar que enquanto tudo era guerra
 A Era foi de revolucionar os corações

Não preciso falar das folhas secas que ficaram na janela
Ou de todos os olhos molhados da saudade de uma força
Só é preciso que se fale dos tantos perfumes que exalados
Só é preciso lembrar que enquanto o mundo dormia...todas eram soldados

São tantas e eternas canções
Queria  lembrar de só uma que te retratasse
Mas não há nada comparado ao teu semblante
Somente mistérios a pescar as estrelas do teu instante

Adormecida no silêncio, anos ficou
Encostada em qualquer canto...mas não chorou
Depois com um gesto sereno, sambou, amou, encantou
E a vida conheceu seu veneno... que não matava e nem fazia dor

Quantas foram, quantas são, e mais serão
 Mães, poetisas, navegantes, o que quiser
São as trilhas de uma longa e sofrida história
Numa  batalha que deixou marcas no seio ardente da mulher

A revolução aconteceu nos breus de longas horas
Os cabelos compridos sangraram a diferença
Hoje vejo as flores de um dia sem maldade
Cabeça erguida, mais intuição e Bondade

Vejo na mulher uma mola que impulsiona a vida
Num simples gesto de coragem
E ai daquele que pensa que a fragilidade é sua fraqueza
Ledo engano- Sua fragilidade é sua íntegra força
 Banhada em cascatas de sutileza!

Autor 14 - Jasmim

Um comentário:

  1. Cara (o) Jasmim

    Teu poema prima pela beleza e consegue um apelo eficaz a essa força da feminilidade que propõe o tema. Contudo, como a proposta desse projeto é o desenvolvimento da arte da escrita, preciso apontar detalhes de como teus versos passaram por minha leitura:
    a)O primeiro verso traz um clichê da história do Brasil, logo, tanto usado demais e perde em origanlidade. O uso de clichês pode ser interessante quando tem um propósito específico ou quando remete à intertextualidade, o que não é o caso aqui.
    b)Ainda na primeira estrofe. usaste o artifício de rimar verbos. Não é condenável quando o recurso é usado com parcimônia, como o fizeste, no entanto, note que o uso confere ao texto uma atmosfera mais pessoal, que nesse caso, fica enclausurado na primeira estrofe.
    Como introdução, a primeira estrofe ficou muito boa.
    c)Na segunda estrofe apresentas uma incoerência textual: No primeiro verso colocas "quero só lembrar do sorriso atrevido", e na quinta, "Só quero me lembrar que enquanto...". São duas situações a lembrar, logo, não deverias tê-las limitado pelo uso do "só".
    d)A quarta estrofe tem um tom lírico interessante, contudo, não entendi algumas imagens.
    e)Na quarta estrofe apresentas um interlocutor em segunda pessoa, que nasce e morre na mesma estrofe, pois na continuação, o narrador dialoga com a terceira pessoa. Mesmo assim, é a mais bela do poema.
    f)Na quinta há muitos verbos e a troca de pessoa referida acima.
    g)Na sexta, parece que apresentas um questionamento nos dois primeiros versos, mas faltou o sinal gráfico de interrogação para pontuar a pergunta. E para manter o paralelismo no discurso, poderias usar "mulheres" no quarto verso, pois a referência anterior está no plural.
    h)A sétima está muito boa. Está lírica e exalta signos femininos sutis.
    i)A oitava estrofe conclui com propriedade, no entanto, seria preferível se mantivesses o plural "nas mulheres".

    É uma boa ideia poética que perdeu um pouco na construção. Para um leitor desatento ou descompromissado, poderá funcionar muito bem, contudo, eu estou focado no teu desenvolvimento.

    É certo que os próximos serão melhores, pois por essa obra já se percebe que tens a verve afiada.

    Um grande abraço

    Wasil

    Nota 3

    ResponderExcluir

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...