Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de Escrita Literária - POESIA - on line

Oficina de Escrita Literária Online – Poesia

Proposta lúdica voltada ao desenvolvimento e ao aprimoramento da composição poética. A oficina foi projetada para ser um meio de iniciação na produção literária.

DSCF7250
Exercício leve e agradável de interação e da liberdade de brincar com as letras;

Comentários, sugestões e críticas que focalizam os aspectos positivos e negativos da produção, consistindo numa avaliação personalizada;

Cinco desafios conceituais e criativos voltados ao desbloqueio da escrita e à iniciação na arte de escrever poemas;

A OFICINA DE POESIA ON LINE é coadjuvante do poeta no processo de ilustrar sentimentos, bem como desenvolvê-los e expressá-los numa estética bela e sensível.

31 de mar de 2011

BONECAS QUE FALAM – Fase inicial – 4ª Rodada

Bonecas Que Falam

Mamãe me disse
Que as bonecas não falam.
Olha que bobinha!
Eu digo:
Elas não calam.

Papai me disse
Que a flor nunca ri
Coitado!
Acho que os óculos
Já `tão quebrados,
Só assim pra ele não ver.

Vovô me disse
Que eu posso voar
Num tapete esquisito
Em cima do mar.
Ah! Esse entende das coisas,
É tão culto
Nem parece adulto.

Mas, mamãe mandou:
Esquece o vovô,
Ele é poeta.
Nunca acorda,
Nunca para de sonhar.

Joaquim Pirantes

Um comentário:

  1. Título, Bonecas Que Falam. Autor, Joaquim Pirantes.

    Gostei bastante do que li, considerando que a proposta é atingir o universo infantil, convocando esse público à leitura. Todavia o final não me convenceu. Explico: a frase “nunca para de sonhar” parece convocar uma outra que estivesse concatenada à palavra “poeta”. Ao longo de todo o poema o autor serviu-se do recurso de rimar (e na dosagem certa, na minha opinião) o desfecho de cada linha de pensamento, exceto justamente na última parte da obra. Nota: 4.

    Luciana Del Nero.

    ResponderExcluir