Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de Escrita Literária - POESIA - on line

Untitled-1
Despertar poesia - Inspiraturas
vivências de poesia para iniciantes e amadores
com ênfase na escritura de poemas
exercícios lúdicos e práticas de escrita criativa
subsídios teóricos para a produção de poemas autorais
incentivo à troca de experiências, impressões e sugestões
acompanhamento da produção e dos resultados
Às segundas-feiras, 19:30h até 22h na Casa do Poeta Inspiraturas - Pelotas RS
início em junho. Apenas oito vagas - 70$mês
www.inspiraturas.com
whatsapp 53991212552
oficinainspiraturas@gmail.com

10 de mar de 2011

MULHERES - Fase inicial - 1ª Rodada

Mulheres

 

Anos atrás.

Quando sofreram.

Disseram não.

Nunca mais.

 

Disseram chega.

Aquela nega.

Que foi pro chão.

Hoje, já deu no pé.

 

Não mais aceita.

Desrespeito.

Nem cara feia.

Não planta mais café.

 

Hoje.

Ela colhe.

Ela come.

E ela faz.

 

(...)

 

Diferenças não há.

Entre as antigas.

E as atuais.

 

Mulheres.

Importantes.

 

Nunca.

Mudaram o olhar.

Não mais.

São mulheres.

Instigantes.

 

É pra frente.

Que se anda.

Não pra trás.

 

Mulheres?

Agora. No volante.

 

Autor 5: O Dentista

Um comentário:

  1. Como sabem, não sou crítica literária. A leitura a qual me proponho visa simplesmente apontar de que maneira o poema me tocou. Enfim, agrada-me a escrita sintética, enxuta e curta. Quando se vai logo direto ao assunto, ao cerne do que se quer transmitir. No poema “Mulheres” essa característica aparece; e isso me parece ser seu ponto forte. Mas a escassez de palavras, quando em demasia, pode empobrecer o “conjunto da obra”. É nessa direção que senti falta de um elo associativo entre algumas estrofes; aliás, além de sempre muito curtas (o que traz a marca de um estilo) elas (as estrofes) estão sempre separadas por pontos finais. A esse respeito, eu alteraria a pontuação, utilizando também as vírgulas, os ponto-e-vírgulas, os dois pontos, enfim, adotando a “quebra” da estrofe sem necessariamente finalizar com um ponto a cada frase. Outro recurso, a fim de obter mais fluidez e igualmente potência, é eventualmente iniciar (dar continuidade) a uma estrofe partindo-se de letras minúsculas...a leitura flui mais livre e “prepara” o leitor para o impacto do ponto final; ou seja, conferindo ao ponto final toda a potência de corte que ele tem, otimizando-a, dando força ao poema.
    Uma nota de 0 a 5? Eu daria 2,5.
    Luciana Del Nero.

    ResponderExcluir