Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

9 de abr de 2011

ÁGUA - fase final - 5ª Rodada

ÁGUA


O Corpo banhava-se em água quente
Líquido tocava os cabelos
Minha mente desejava seu toque
Como se fosse sua mão a tocá-los
Escorria pelo rosto, entrava em minha boca.
Qual cachoeira descendo entre montes
Vinha aos meus seios.
Como rio que não se detêm com nada
Continuava seu curso
Desceu por minha barriga
Escorreu por minhas costas
Como se fossem seus braços
A envolver-me em delicioso abraço
Molhou sensualmente aquele lugar que
Ardentemente por ti espera.

Laura Lufe

3 comentários:

  1. Título: ÁGUA. Autor: Laura Lufe.

    O poema Água tem algo que não me convenceu. Ele é sutil, arrojado, com boas metáforas. Apesar disso, senti falta de um elo associativo em algumas passagens, o que daria à leitura uma maior fluidez, seduzindo o leitor pelos caminhos aos quais o autor se propôs a nos levar. Esse aspecto está bastante pronunciado sobretudo no começo do poema, na passagem da primeira para a segunda estrofe, bem como da segunda para a terceira e desta para a quarta. Ex: “O Corpo banhava-se em água quente/ Líquido tocava os cabelos/Minha mente desejava seu toque/Como se fosse sua mão a tocá-los”. Creio que a utilização soberana das letras maiúsculas a cada verso acentua esse aspecto. Nesse sentido, sugeriria o recurso de utilizar-se de letras minúsculas no começo de cada nova frase, além do que fora apontado no que diz respeito aos elos associativos. Nota: 3,5.
    Luciana Del Nero.

    ResponderExcluir
  2. O poema erótico requer um elo entre duas pessoas. O individualismo não convenceu.

    Deve-se pensar que o erotismo não é uma divagação vazia. E sim, um passeio de dois corpos pela imaginação da proposta sexual de cada um...

    ResponderExcluir
  3. Laura, o poema poderia seguir um ritmo visceral não fosse a quebra acentuada em cada verso pelo uso da maiúscula, como disse Luciana.
    O tom narrativo ficou impressionante e é uma ferramenta muito útil na poesia narrativa.
    Por fim, o uso do indefinido "aquele lugar", no final, parece que não ficou tão apropriado. Caberia, talvez, o uso de algo como "aquela parte de mim" ou afins.
    Gostei muito do poema, sobretudo do tratamento do léxico com delicadeza.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...