Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de Escrita Literária - POESIA - on line

Oficina de Escrita Literária Online – Poesia

Proposta lúdica voltada ao desenvolvimento e ao aprimoramento da composição poética. A oficina foi projetada para ser um meio de iniciação na produção literária.

DSCF7250
Exercício leve e agradável de interação e da liberdade de brincar com as letras;

Comentários, sugestões e críticas que focalizam os aspectos positivos e negativos da produção, consistindo numa avaliação personalizada;

Cinco desafios conceituais e criativos voltados ao desbloqueio da escrita e à iniciação na arte de escrever poemas;

A OFICINA DE POESIA ON LINE é coadjuvante do poeta no processo de ilustrar sentimentos, bem como desenvolvê-los e expressá-los numa estética bela e sensível.

21 de abr de 2011

AMOR DE PRIMEIRA GRANDEZA - etapa final - 7ª rodada

Amor de primeira grandeza

Quando a vida parecia escurecer
Num infinito vale estranho
Vem teus olhos me reerguer
Vitalizando outra vez meus sonhos

Se a brandura que há nos encantos
De teus gestos a me levantar
Certamente, junto ao meu pranto
Toda mágoa foi-se a evolar

Pois, que agora, só há alegria
E aqueles dias já não vêm mais
Tu és doce, pura melodia
És canção em meus festivais

És a luz que me ilumina a vida
Esperança a rasgar as manhãs
Seus “bom-dias” curaram feridas
Doces beijos de aldebarã

Agradeço sua companhia
A me encher o coração de festa
Fazes destes meus melhores dias
E o amor em ti a poesia confessa.

Franklin Stingër



Um comentário:

  1. Título: Amor de primeira grandeza. Autor: Franklin Stingër.
    O tema “água com açúcar” sugerido para essa semana oferece riscos ao poeta. Afinal, excesso de “açúcar” acaba enjoando e dando sede. Apesar disso, o autor de “Amor de primeira grandeza” conseguiu responder ao que lhe fora solicitado sem “enjoar” o leitor, ainda que por pouco. Desconheço a palavra aldebarã. E, no contexto em que ela surge, algo destoou. Como se ali uma rima tivesse de nascer a todo custo, dando-me a impressão de um verso “forçado”, empolado demais. Nota: 3,7.

    Luciana Del Nero.

    ResponderExcluir