Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de Escrita Literária - POESIA - on line

Untitled-1
Despertar poesia - Inspiraturas
vivências de poesia para iniciantes e amadores
com ênfase na escritura de poemas
exercícios lúdicos e práticas de escrita criativa
subsídios teóricos para a produção de poemas autorais
incentivo à troca de experiências, impressões e sugestões
acompanhamento da produção e dos resultados
Às segundas-feiras, 19:30h até 22h na Casa do Poeta Inspiraturas - Pelotas RS
início em junho. Apenas oito vagas - 70$mês
www.inspiraturas.com
whatsapp 53991212552
oficinainspiraturas@gmail.com

22 de mai de 2011

Sem leitores, teremos autores?, por Juleni Andrade

Perante uma obra literária, o leitor leigo irá sensibilizar-se ou não; um crítico de literatura irá analisar o estilo, compondo sua tese sobre a forma da escrita. E o artista? Ele usa a arte com um objetivo. Poderia citar alguns acadêmicos da ABL que mesmo considerados, pelos críticos mais confiáveis, lá estão sem ter sensibilizado nenhum leitor. Também, poderia fazer uma lista de autores considerados por críticos como péssimos e que vendem rios de livros. Ainda, poderia fazer uma relação de autores que nem receberam crítica e são ótimos para muitos leitores.

Todo julgamento é relativo, depende do momento e das circunstâncias. Além, de haver uma classe de críticos e manchetes encomendados por autores e editoras. Vivemos num mundo capitalista: tudo ou quase tudo pelo lucro.

Considero a instrumentação teórica do artista muito relevante para o aprimoramento de sua obra... mas isso não é imprescindível.

A análise de estilos literários é fascinante, mas não está acima da sensibilização causada pela literatura. Essa mania de colocar a teoria acima do sensibilizar acaba prejudicando a formação de novos leitores, por exemplo. Vejo isso acontecer na educação formal, professores impedindo o nascimento de novos leitores, matando o gosto pela leitura sem compromisso. 

Sem leitores teremos autores?

Juleni Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário