Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

4 de jun de 2011

3ª Rodada - “Poesia do Cotidiano”

CARACTERÍSTICAS DA LITERATURA MODERNISTA

INCORPORAÇÃO DO COTIDIANO

Uma das maiores conquistas do modernismo, a valorização da vida cotidiana traz para a arte uma abertura temática sem precedentes, pois, até então, apenas assuntos "sublimes" tinham direito indiscutível ao mundo literário. Agora, o prosaico, o diário, o grosseiro, o vulgar, o resíduo e o lixo tornam-se os motivos centrais da nova estética. À grandiosidade da paisagem, Manuel Bandeira sobrepõe a humildade do beco:

Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
- O que eu vejo é o beco.

Mário Quintana afirma, em um de seus curtos poemas em prosa, que "os verdadeiros poetas não lêem os outros poetas e sim os pequenos anúncios dos jornais", porque certamente nestes classificados pululam os dramas mais banais e os interesses mais comuns da humanidade.

A aventura do cotidiano leva o artista a romper com os esquemas de vida burguesa. Ele descobre o folclórico e o popular, elementos dos quais se apropriará, muitas vezes indevidamente. Acima de tudo, o artista está consciente de que todos os objetos podem se tornar literários.

Sergius Gonzaga
http://educaterra.terra.com.br/literatura/modernismo/modernismo_12.htm

--------------------

No morro e no asfalto

A fadiga companheira já sabe de cor o rumo
Desta escada moribunda que todo dia nos leva
Cedo, esperança no sol, noite só medo da treva
A escada é a fronteira, embora feita sem prumo.

Separa a vida do asfalto, do dinheiro sofrido
Para onde me despenco na rotina do trabalho
E para cima a canseira nesta vida sem atalho
No barraco feito de zinco e piso de chão batido.

Sou esta mulher do povo, cheia de teima e garra
Mãe de filhos pouco vistos, criados a farinha e marra
Que no sobe e desce eterno espera melhores dias

Sou parte integrante dos degraus da escadaria
Onde meus pensamentos alinhavam uma história
Criada no limo do cimento e nos desvãos da memória.

Marisa Schmidt

---------------------
A provocação:

Escreva um poema que evidencie a inclusão do eu-lírico no cotidiano.

Envie o poema finalizado até o dia 18 de junho para academiadodiscurso@gmail.com

Boas inspírações!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...