Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

17 de jul de 2011

6ª rodada - Sem Limites

Sem Limites

Absurdo é querer-te assim
Como um mendigo na chuva, querendo comida
Sentir a dor de cada segundo do tempo sem ti
Rosa sem florescer.

Falaste sujeira pra mim
Me pisaste, chorei
Te quero, cegamente, sem fim
Meu querubim, meu diabo.

Por vezes imploro perdão
Sem mesmo ter pecado, na cruz
Tu enfias os pregos em minhas mãos
Grito pra todos e tudo...
Te amo e te peço perdão.

Tony Montana

5 comentários:

  1. Começo com uma pergunta: o personagem que o poema “Sem limites” se propôs a mostrar é Jesus Cristo? Foi a única imagem que me sugeriu e ainda assim, pela palavra cruz.Confesso que não entendi o enredo e nem mesmo a licença poética me explica o ...”tu enfias os pregos em minhas mãos...” ou...” falaste sujeira pra mim...”

    Enfim, li, reli e não captei a mensagem e nem senti qualquer emoção, coisa que estranho, já que o Tony Montana mostrou aqui outros poemas muito bons.

    Minha nota é 2, 5

    Marisa Schmidt

    ResponderExcluir
  2. Tony Montana

    Absurdo é querer-te assim
    Como mendigo na chuva, querendo comida. Sentir a dor de cada segundo sem ti.

    Como exercício da escrita não posso opinar. Sou leitora e não crítica literária.

    Mas lendo com a alma, gostei muito!

    Parabéns

    Regina cnl

    ResponderExcluir
  3. Tony Montana foi infeliz na escolha de seu tema. Além disso, não foi possível reconhecer a referência adotada como base para o seu “Sem limites”, fato que invibializou o julgamento do desafio proposto, a saber, uma construção intertextual de cunho poético. Nota: ? Luciana Del Nero (daria 2,0 pela participação).

    ResponderExcluir
  4. Nesse caso, eu preciso identificar o intertexto para entender a proposta, pois, sem ele, não consegui fazer o "fechamento" da obra. Na falta desse elemento de identificação, procurei fazer uma leitura do poema como um recorte, uma peça contextualmente singular, e me pareceu um poema muito bonito, sonoro, com boas escolhas, ainda assim, tanto confuso.
    Gostaria de congratular o oficineiro pela espetacular atuação. Percebi inclusões interessantes no estilo do autor durante a oficina. Me pareceram muito positivas. Espero que a oficina tenha colaborado.
    Deixo aqui meu convite ao autor para que participe das próximas edições, como autor ou jurado.
    Grande abraço

    nota 4

    ResponderExcluir
  5. Tony, acho que a intertextualidade poderia ter sido mais marcada, faltou um pouquinho de lirismo... gostei das imagens. Nota: 3,5

    Dhenova

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...