Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

17 de jul de 2011

6ª rodada - Sorte no Jogo

Sorte no Jogo

Mãos trêmulas
veias à mostra
cada toque
uma pausa tensa
num espiral
de emoção

aflito, ansioso
espero o momento
final da exposição
uma certa vergonha
me toma de assalto

O quê faço ali?

Nos dedos longos, no entanto
um em riste
'Não há o que temer, menino
terás sorte no jogo'
a mulher velha me diz

Tolo, acredito
esqueço o adágio
e me toco pra casa da Cleide
marido no trabalho
cama pronta, só prazer...

Entro pela janela
Pobre de mim...
encontro ele, não ela
Ai... é o fim.

Alegrah

5 comentários:

  1. não consegui descobrir a que personagem ou texto o poema “Sorte no Jogo” se refere, portanto não foi atendido o objetivo dessa rodada. Não me agradou o poema que me fez lembrar um certo improviso, com pouco empenho por parte do autor, ou pouca clareza no conteúdo.

    Minha nota é 2,0

    Marisa Schmidt

    ResponderExcluir
  2. Alegrah

    Uma certa vergonha me toma se assalto

    O que faço alí? Tolo acredito...A velha mulher me diz.

    Valeu...

    Parabéns

    Regina cnl

    ResponderExcluir
  3. Desconheço a referência adotada por Alegrah. O leitor que não possui uma ampla bagagem cultural, (suficiente para reconhecer o texto ao qual o poema de Alegrah se refere), fica sem nenhuma baliza para direcioná-lo na leitura. Considerando que o desafio proposto foi o de construir um intertexto, fiquei sem elementos para julgar o poema em pauta. Nota: ? Luciana Del Nero (daria 2,0 pela participação).

    ResponderExcluir
  4. Antes de Cleide aparecer no poema eu não estava identificando o intertexto. Depois fui reler "A Cartomante" e pude me deleitar com teu poema.
    Os indícios que levam ao texto de Machado de Assis poderiam ter sido mais claros.
    Nota 4,7

    aproveito para convidar a poetisa para continuar conosco na terceira oficina. Parabéns pelo desempenho e grande abraço.

    wasil sacharuk

    ResponderExcluir
  5. Alegrah, bem interessante a narrativa, bem humorada, todavia a intertextualidade não me foi clara, imaginei que pudesse ser a cartomante, meio às avessas... no todo, foi bom de ler. Não exageraria tanto na pontuação, deixa truncado o ritmo. Nota: 3,5

    Dhenova

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...