Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

28 de jul de 2011

Encerramento da 2ªOficina Inspiraturas – Marisa Schmidt

Caros Oficineiros Flávio O.Ferreira, Rogério Germani, Marcia Castilho, Leh Lopes, Regina cnl, André Fernandes, "Tony Montana"

Quero primeiramente dar parabéns a todos pela rica participação e pelo empenho em fazer a cada rodada uma melhor apresentação.

Claro que ser o primeiro colocado é muito bom e gratificante, sinalizando que o poeta foi feliz em suas escolhas e no seu arquitetar poético e, é claro, merece nosso caloroso aplauso.No entanto, todos os demais também tiveram um excelente desempenho e a todos mando meus cumprimentos de leitora que ama poesia e que pode apreciar e aprender muito nessa edição.

O que me deixa muito feliz é que quase todos os participantes são queridos amigos poetas da NOP, com os quais "troco figurinhas" diariamente .Analisar seus trabalhos, sem identificá-los, mostrou-me a versatilidade de cada um.Não reconheci os meus amigos nos seus poemas e portanto fiz os comentários baseada tão somente naquilo que o poema me dizia no momento.

Quero que saibam que é muito mais difícil ser jurado que oficineiro, porque a cada poema eu ficava imaginando a reação do poeta ao ter sua obra dissecada por uma mera leitora.Elogio a gente sempre aprecia e recebe bem, mas as críticas, incomodam e aborrecem.

Quando leio uma poesia nas comunidades, num livro ou revista, tenho a reação normal de todo leitor: se gosto, se me toca eu elogio, colo, mando para outros.Se não gosto, simplesmente esqueço...

Aqui não funciona assim.Gostar ou não gostar carece de explicação e, como não há um roteiro, um manual (e nem deve mesmo ter nessa proposta) a gente escreve o que sente.

Peço desculpas se em algumas situações fui indelicada ou ignorante ao apreciar o tema; se fui muito chata ao criticar os erros de português, mas acredito que o bom uso da língua é básico para uma escrita agradável; se fui irônica em alguns comentários-característica que não consigo domar.

Mas quero que saibam que sou muito grata a todos pelo muito que me ensinaram( a Marcia, depois de despida a máscara de Campos&Espaço, deu-me uma aula sobre cummings-agradeço, querida!), pela beleza que me permitiram apreciar e, especialmente por terem no fazer poético uma generosa comunicação.

Parabéns e muito carinho ao mestre Wasil Sachruk pelo seu amor à poesia que faz com que dedique seu tempo e seu talento mantendo este espaço acolhedor e de tamanha qualidade.Obrigada pela imensa paciência com meus questionamentos.

Às colegas Dhenova e Luciana pela invejável capacidade e clareza nos comentários, meu muito obrigada.

Meu eterno reconhecimento por ter meu nome apadrinhando essa oficina.Sem falsa modéstia, não mereço tamanha honra.

Beijão a todos e até a próxima.

Marisa Schmidt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...