Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

16 de out de 2011

3ªOficina - 2ªrodada - Espelho


ESPELHO

Se eu falasse com você
e você me respondesse,
eu não estaria feliz,
como outrora um dia quis,
porque suas palavras seriam
um eco concomitante de mim mesmo.

Se eu conhecesse você
e você me conhecesse de verdade,
seríamos amigos íntimos
com laços prístinos
e viveríamos duas dúvidas
de uma mesma alma.

Porque viver é dúvida
e não certeza.
E se agora eu o vejo
talvez não seja como desejo:
como saber, afinal,
se você reflete o Eu?

Se eu penso,
logo você existe:
porque somos um só
e juntos volveremos ao pó,
mas até lá a busca continua
porque a incógnita permanece em mim.

Porque se é mister
conhecer a si mesmo,
investigando seu reflexo
contextualizadamente sem nexo
(que sou eu do lado de cá)
penetrarei no que me é imane.

Se eu olhasse seus olhos
e cheirasse seu odor;
se saboreasse seu paladar,
se tocasse seu toque,
se ouvisse mais o que você diz:
talvez eu o conhecesse melhor.

Porque o segredo de Ser
está oculto em mim
e você e eu somos unidos para sempre,
como alfa e ômega inerentes:
porque as respostas do reflexo no espelho
são incógnitas dentro de mim...

E, entretanto, tenho a certeza de sê-lo.

Tom Alguma Coisa

3 comentários:

  1. ESPELHO

    Falar ao espelho foi uma boa estratégia imagética para o poema. Trata-se de um mote seguro, mas tanto batido.

    A escolha do título desvalorizou o poema, visto que remete ao lugar-comum.

    O poema tem um argumento coerente, e ficou fluido e ritmado.

    Poderia ser mais curto sem prejuízo da ideia.

    Há muitos "porques", mas não gostei dos que foram usados como recurso coesivo no início das estrofes.

    No geral, um bom poema

    Nota 4,0

    Wasil Sacharuk

    ResponderExcluir
  2. Falar ao espelho é o mesmo que berrar no deserto: só ficam os ecos.

    Esta é a mensagem que o poema "Espelho" transmite, um monólogo contínuo ancorado em repetitivos "porquês".

    O poema flui bem, mas ficaria melhor se fosse mais conciso.

    nota 3,5

    Rogério Germani

    ResponderExcluir
  3. Vejo que o autor não alcança e nem se dá conta de seus propositos. Nada claro, pois se afunda nas margens do titulo apenas.

    Nota: 2,5

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...