Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

16 de out de 2011

3ªOficina - 2ªrodada - Insônia


INSÔNIA

Boa noite, madrugada
Que silêncio é este que eu escuto?
Foi a noite que me trouxe este silêncio,
Deixou este vazio tão escuro
E que ergueu o muro
Que me separa do meu dia,
Do meu cantar, da minha alegria?
Foi a noite, madrugada
Que me deixou isolada
Neste mundo de silencio?
Então corre, madrugada,
Vá embora desta noite.
Não me sirva de açoite
A mexer nesta ferida.
Quero vida!!
Quero dia!
Quero luz e energia!
Vá embora madrugada
Leva a noite assombrada
E diga ao sol
Que pode entrar.
Vá correndo, vá depressa,
Faz o relógio correr.
Não fique inerte, aí parada...
O dia precisa nascer,
Já é hora de acordar.
Boa noite, madrugada!!!!

SOL POENTE

3 comentários:

  1. Sol Poente

    Em INSÔNIA, a palavra silêncio se repete sem necessidade, visto que pouco acrescenta ao contexto, além da antítese da qual participa no início do poema. Outras palavras também se repetem: noite (sem necessidade) e madrugada (essa ficou mais contextualizada).

    A segunda parte (eu dividi em blocos semânticos para facilitar meu entendimento)busca responder o questionamento da primeira, no entanto, o faz de forma confusa.

    Não alcancei a proposta semântica. Dar boa noite à madrugada faz parecer que ela precede a noite.

    O conteúdo não surpreende, pois não trouxe algo inusitado.

    Gostei da exploração do ritmo. Ficou fluido.

    Nota 3,00

    Wasil Sacharuk

    ResponderExcluir
  2. Insônia é um bom argumento para usar num solilóquio. A começar pelo título, o autor utilizou bem tal recurso; trouxe à tona sua íntima luta noturna.

    Pena que tantos silêncios sucessivos no poema criaram ecos conflitantes no perpassar do ritmo.

    Há, também, um desalinho no versos

    "...Vá correndo, vá depressa,
    Faz o relógio correr..."

    Se a intênção é utilizar-se da voz imperativa, o correto seria:

    "...Vá correndo, vá depressa,
    (FAÇA) o relógio correr...

    Bom poema.

    nota: 3,5

    Rogério Germani

    ResponderExcluir
  3. Pequena idéia, altos e baixos nas coesões: rimas, sons e colocações figurativas. Nada indica linha alguma.

    Nota 3,0

    ResponderExcluir

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...