Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

23 de out de 2011

3ªOficina - 3ªrodada - Sem Adereços


SEM ADEREÇOS

Quero a paz sem adereços
sem tons vermelho ou prata
que venha densa e cálida
ah, a paz que almejo...

pálida seja a ira
num céu sem fuzis
o perfume da rosa
invada em brisa sutil

iludida seja a paixão
mergulhada em branco
espante a solidão
com sorriso franco

tácita seja a briga
na avenida ou mar
cale o motivo escondido
emoção em ter mais

enaltecido seja o amor
desenhado entre estrelas
visto por todos entes
amanhecer sem fronteiras

cristalizada seja a razão
num poema frágil
deite as regras no chão
sem confusão ou maldade

Quero a paz sem adereços
sem tons vermelho ou prata
que venha densa e cálida
ah, esta paz que almejo!

PENÉLOPE DE ÍTACA

3 comentários:

  1. Penélope de Ítaca - Sem adereços

    Aspectos positivos: é imagético, alcança o tema, a repetição da primeira estrofe no encerramento marca a coesão. Gostei do título.

    Aspectos negativos: alcança o tema, mas de forma abstrata. Poderia ter sido trabalhado mais o real. Há alguns clichês como 'amanhecer sem fronteiras', 'amor desenhado em estrelas' que poderiam ter sido evitados, embora não prejudiquem a leitura.

    Nota: 4,0

    Dirce dos Santos

    ResponderExcluir
  2. Autor faz muito bm o uso da proposta. Fragilidade do poema sem regras com boa exposição.
    Deite as regras no chão: percebo visão do tema proposto por esta rodada.
    Nota: 4,7

    ResponderExcluir
  3. Considerações:
    “Sem Adereços” é pouco contextualizado com a temática. Não o vejo como social, e sim, como um poema de exaltação à paz.
    Para mim, razoável, inclusive no que tange a ritmo, rima e sonoridade.
    Obs.: “Sem tons vermelho ou prata”. Esta é a imagem apreciável do poema: “Uma paz sem mácula de sangue e o aço (prata) que lembra a letalidade de armas e projéteis. No entanto, considerando-se que a conjunção é alternativa (ou), e não aditiva (e), ou os “tons” devem migrar para o singular ou o “vermelho” acompanha sua forma plural.
    Nota: 3,2

    Mailton Rangel

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...