Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

25 de mai de 2013

A flor que és


A flor que és, a flor que desejo,

daquelas que flamam magias,

és mistério.

 

A flor que és, a flor que procuro,

daquelas que não há nos jardins,

               és fascínio.

 

A flor que és, flor que me comove,

incógnita de nuances intermináveis,

és suplício.

A flor que és, flor que me fascina,

dissipa-se num perfume ao vento,

és anúncio.

        

A flor que és, quero-te plantada,

caudalosa e efêmera num jardim

de ciladas e mistérios inquietantes,

um desafio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

encontre a Casa do poeta Inspiraturas: