Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

4 de out de 2013

NADA A LAMENTAR

NADA A LAMENTAR



É certo que naufragarão todos barcos de papel...
Seus inúteis pedaços estarão ainda algum tempo
marcando presença no vento que corre ao leu
sendo  próprio do brinquedo ruir-se em fragmento 
e nada há a lamentar nessa ilusão de papel

Também pouco viverão os sonhos da juventude
loucos voos de quimeras fadados ao desengano
pois castelos presos em teias tecidas na quietude
são apenas a desculpa para adiar outro plano
e nada há a lamentar dos arroubos da juventude

O que fica para sempre é só a doce lembrança
das pequenas alegrias que custam quase nada
mas que despertam sorrisos e uma leve esperança
que ainda há a criança dentro da gente guardada
e nada há que apague o calor de cada lembrança...

Marisa Schmidt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

encontre a Casa do poeta Inspiraturas: