Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

5 de nov de 2013

Amanheci entardecendo...


Quando o dia raiou eu amanheci entardecendo, não compare a algum pecado capital, não é mesmo, os olhos que fitam a rua, recolhe-se na ânsia para entardecer, pôr-se por detrás da colina que está atrás das altas casas de um bairro que nem sei o nome. Em minha mente já sinto as cores mescladas do amarelo-laranja-marrom-dourado-azul, sinto o vento que remexe os galhos da escassa árvore que fica no baldio terreno a minha frente. Sinto meu coração batendo excitado. Sinto que posso não sentir as horas tardias de um dia que ainda nem passou, mas sinto. Sinto o morno Sol adentro em mim, fazendo o dia em mim, enquanto que anoitece a vida da rua, do país meu. Eu sinto tão forte que turva a visão. Assento esse anseio na cadeira perto da janela e já degusto o café, a suavidade pressentida, a serenidade respirada, na mente um pouco de nada para logo mais embarcar numa lida repleta de tudo e de estrelas enluarada, fazer adormecer os pássaros que agora cantam divinamente o belo dia que se anuncia, mas que eu repito baixinho, só pra mim, que já estou pronta para entardecer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

encontre a Casa do poeta Inspiraturas: