Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

25 de nov de 2013

REFLEXÕES DA SEGUNDA-FEIRA


REFLEXÕES DA SEGUNDA-FEIRA

Caminhando na cidade
Sou apenas uma mulher
(uma mulher qualquer)
Sem ter peculiaridade
Que justifique atenção

Ninguém vê meu coração...

Não sabem que sou poeta
E qualquer um vira inspiração
Na rima que é minha meta
Em segredo observo a feição
da criança, do moço, do idoso

Ignoram meu olhar amoroso...

E sigo dialogando com o vento
Contando o que descobri
Nas rugas do senhor desatento
No sorriso que na menina eu vi
E nas folhas perdidas ao léu

Poucos olham para o céu...

Na avenida andam apressados
Os transeuntes e seus dilemas
Ninguém para ou olha nos lados
(ema, ema, todo mundo tem problema)
Só eu vejo a cidade que os afeta

Essa é a sina do poeta...

Marisa Schmidt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

encontre a Casa do poeta Inspiraturas: