Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

30 de set de 2014

Poetas da NOVA ORDEM – Bia Cunha

Poetas da NOVA ORDEM – Bia Cunha


"Eu tenho que ser legível quase no escuro." Clarice Lispector

gosto das coisas simples...

CITAÇÕES FAVORITAS


Curto Àquelas que foram ditas com os gestos, com as ações, com a docilidade de um grito de vitória, o barulho de um silêncio amado. Meu Pai, Afrânio F. Cunha, mesmo me disse uma inesqucível:
"Filha, o Homem não tem cor ele tem história, daí verás quem ele é"

Gosto das frases ditas em carne e osso: VIVIDAS ou SOBREVIVIDAS.



Eu nasci e moro no Recife|PE, sou formada em Letras pela FAFIRE e atuo como Designer no seguimento de sinalização em geral. Amo arte, poesia e o ser humano... O olhar humano me fascina e acredito que é através dele que nasce na alma a fé, as melhores ações e as más também.



Bia Cunha é como assino, mas meu primeiro no me é Edla e faço dela meu personagem principal o “eu”... É o confronto do que sou por fora (Bianca) ao que carrego nos escombros da minh’alma (Edla)... Sou Criadora e Criatura de um mesmo eu...



Enfim, sou uma mulher em busca do meu olhar, do aprimorar-me.



Sorrir é minha melhor virtude e chorar a fraqueza que me enobrece.



Aqui uma parte de mim, no mais...



Leia-me!


Edla Bianca Cunha

Em busca de mim num voo poético além de nós... Do Recife sou mais uma Poesia. Poetisa? Não me atrevo. Sou linhas que formam Pontes de sentimentos-versos, pés que riscam passos numa incontida busca de minha humanidade-prosa-, por entre Rios da história que contam minha desventura-conto- e permeio os confrontos da mente sobre ruas do Antigo patrimônio das minhas recordações -mote- e Novo comércio de idéias sentidas-rimas. Nos momentos das enchentes e letras poluídas me calo. Pois no silêncio me refaço. Criando-me num esboço bem rabiscado. Guardo as sandálias no instante que escalo, pois subo as altas e frias colinas do pré-sertão e me recolho quando vejo que por entre neblina surgem flores. Me acho. Alma inquieta vagueia por... ...mares, encostas e tubarões ...poesia, rimas e moções ...olhares, partidas e confusões.

Nascida em 1 de outubro de 1978 
 
Ligações externas:
http://aquelabiafeliz.wordpress.com/
edlacunha@hotmail.com
http://www.facebook.com/edla.bianca




e-BOOKS:


Escorpião – versos autobiográficos





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...