Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

1 de dez de 2014

Marisa Schmidt – poeta da NOVA ORDEM DA POESIA

“Nasci num outubro há muito tempo...tanto tempo que minha São Paulo era tranquila e o bonde me levava para o grupo escolar. Depois, ela cresceu rapidamente e eu também cresci e fui ser normalista, coisa normalíssima para as mocinhas daqueles dias, e nessa época descobri o prazer da poesia. Dei aulas por muito tempo, mas também casei, tive filhos e parei de fazer poesias, porque ser mãe exigia toda minha inspiração! Mas São Paulo havia crescido tanto, mas tanto que para o bem dos meninos precisava de uma cidade menor.Mudei para São Bernardo do Campo, criei lá os filhos e uma escola, o que me fez voltar aos estudos.Fui fazer Pedagogia e me especializar em educação da primeira infância.Enquanto isso os meninos saíram da segunda infância e do ninho...e eu percebi que a pequena São Bernardo já havia crescido tanto, mas tanto, que até fabricara um mito operário e a nossa casa era então imensa para dois...Sim, os filhos saíram, mas o marido ficou! Resolvemos que o melhor era flanar na praia e há quatorze anos aportamos em Bertioga, onde curto minha aposentadoria e os quatro netos quando nos visitam.


No restante do tempo, faço trabalhos voluntários, leio, escrevo e cultivo amigos reais e virtuais.


Depois que me aventurei pela internet e descobri a NOP conheci novos poetas e num assomo de ousadia voltei a escrever poesias.Redescobri um prazer a muito esquecido e depois de haver participado de alguns concursos e ganhar dois deles, acho que a musa está razoavelmente em forma; bem mais que eu!”

Marisa Schmidt – poeta da NOVA ORDEM DA POESIA


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oficina de escrita literária Inspiraturas, em Pelotas

Oficina de escrita literária Inspiraturas - o fim da página em branco - A ti, que ainda acreditas na escrita, em especial a Poesia, como ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...