Queremos o fim da página em branco. No projeto Inspiraturas, exploramos estímulos muito diversificados que têm no grupo a base fundamental. Daí, podemos treinar e desenvolver uma escrita mais sensível, espontânea e livre. Uma forma lúdica de derramar as palavras ainda não escritas.

www.inspiraturas.com - visite-nos, também, no facebook

2019

27 de mai de 2018

Catilinas conversa com Chauí

Catilinas colocou casaco contra congelamento corporal, conseguiu carona com caminhoneiro cuiabano. Conforme chegou capital chamada Curitiba, concebeu compartilhar camping comunista, com companheiros cuja condição compete com coçar colhões, coçar chavascas, contornando cela cuja confederação colocou criminoso canalha, chamado Calamar Cachaceiro, cumprir cana.
Catilinas conheceu criatura controversa, com cabelos crespos, com camiseta colorada, como Chapolin. 

Catilinas conversou:

-Como chamas, criatura?

-Chauí.

-Conta, companheira Chauí, como consegue colar cu cadeira confronte cela criminoso Calamar?

-Caro Catilinas, Calamar criatura cuja consciência compete com cientista continental, criou condições carentes comprarem casa, criou Cesta Comunitária, cuja competência consiste com carente comprar comida, criou carreiras, construiu colégios, conquistou continente com conversa consistente. Cidadãos classe central culpados! Calamar coincide com criatura com conduta cristalina. Contudo, Catilinas, classe central cínica! Colocou Calamar cadeia com cama cujo colchão carece conforto. Configuraram conspiração contra Calamar Cachaceiro. Contudo, caro companheiro, Calamar colocará candidatura como comandante confederativo.

-Caraca, companheira Chauí, confundindo Calamar Cachaceiro com Cristo? Como criminoso corrupto, Calamar carece cumprir cana.

-Calamar crucificado como Cristo! Colocaram Calamar cadeia como critério coibir candidatura, Catilinas. Classe central culpada, Catilinas. Classe central composta com canalhas. 

-Credo, Chauí. Como consegue criar consciência comparável com cinismo? Criatura, cabeça Chauí configurada como cu, calibrando cada cagalhão como convém! Cala, criatura!

wasil sacharuk




Nenhum comentário:

Postar um comentário

encontre a Casa do poeta Inspiraturas: